A CREDIBILIDADE DE UM LÍDER (entrevista ao Instituto Jetro)

09/11/2011 00:00

A CREDIBILIDADE DE UM LÍDER

Edison Zemuner

Entrevista para Instituto Jetro - Publicada em 17.10.2011

http://www.institutojetro.com

 

Lendo o capítulo 13 e 14 do livro de Êxodo, percebemos alguns traços característicos da credibilidade de Moisés. O povo de Israel vivia momentos de perseguição do exército de Faraó, de incredulidade e medo, mas também, de obediência de Moisés, presença e milagres de Deus. 

Confiança é algo difícil de ser conquistado, mas fácil de ser perdido. Assim como a credibilidade de um líder. Mesmo sendo muito talentoso, o líder deve ter caráter ilibado e devoção ao Senhor. É só assim que sua credibilidade como líder será intocável.

Para falar sobre este tema "Credibilidade de um líder", o Instituto Jetro entrevistou o Pr. Edison Zemuner. Zemuner é Missionário da Sepal. Pós-Graduado em Comunicação Empresarial; Pós-Graduado em Teologia; Licenciado em Pedagogia; Bacharel em Teologia; Graduado Internacional pelo Haggai Institute e Pastor da Igreja Presbiteriana Independente do Brasil. Editor do site http://zemuner2.webnode.com.br/

 

 

Foto de Edison Zemuner 

A Liderança tangível de Deus é vista através da nuvem e da coluna em Êxodo 13:21. Ele mostrou que está junto na caminhada, dando o ritmo e mostrando o caminho. Podemos afirmar que alguns pastores e líderes não têm credibilidade porque seus liderados percebem que estes não estão acompanhando "a nuvem e a coluna"?

 

Edison- Infelizmente, alguns líderes procuram forjar nuvens próprias e acenderem suas próprias tochas de fogo. O problema é o esforço feito para manter a nuvem no ar e a tocha acessa.

A experiência vivida por Israel no deserto assegura que Deus tem um desejo intenso de estar bem próximo da sua criação. A nuvem e o fogo, mais do que elementos simbólicos, são sinais de presença divina "perceptível". Líderes devem guiar seus liderados na direção dos sinais de Deus. A compreensão dessa verdade tira da liderança qualquer possibilidade de apontar direções. Na verdade, o líder apenas aponta para a direção que já foi marcada pelo ponteiro de Deus.

A nuvem e o fogo nos ensinam que, se ignoramos os sinais, deixamos de perceber o caminho indicado por Deus e abrimos precedente para erros consecutivos. Se não seguimos e mostramos os sinais de Deus aos outros, caminhamos para o lado escuro do deserto. Nuvem e fogo, criados pelos homens, se dissipam com facilidade. E, uma vez dissipados, desaparece também a credibilidade de quem acende tocha estranha. Moisés é exemplo de força e credibilidade em sua liderança porque respeitava os sinais de Deus e conduzia o povo na direção Dele.

O exército egípcio liderado por faraó aterrorizava os israelitas. Moisés não entrou em pânico. John Maxwell afirma que "sua credibilidade deve-se ao fato de que Ele projetou a calma em vez de loucura, confiança ao invés de covardia, clareza em vez de confusão e competência, em vez de falta de jeito". De quais destas características a liderança brasileira é mais carente? 

Edison- Maxwell demonstra sensibilidade muito grande em suas leituras na perspectiva dos valores da liderança. E creio que ele tem razão em afirmar que Moisés agiu com equilíbrio e sensatez. Esse assunto me faz lembrar outro personagem bíblico com características semelhantes. Tenho estudado o livro de Neemias cuidadosamente, na perspectiva das suas qualidades de liderança. E percebo estas mesmas características citadas por Maxwell. Precisamos aprender e desenvolver uma liderança que deixe marcas positivas para as próximas gerações.

Moisés é modelo de equilíbrio em situações de crise.  Uma liderança autentica se define assim, por uma postura firme e sensata. Os momentos de dificuldades são as melhores oportunidades para avaliar a sensatez e equilíbrio de um líder.

"Loucura", "covardia", "confusão", "falta de jeito". Todos nós manifestamos uma ou mais dessas características enquanto exercemos liderança. E podemos comprometer nossa credibilidade nessas ações. Moisés não foi cem por cento perfeito. Em algum momento, desequilibrou e bateu na rocha. Às vezes, batemos na rocha também. As circunstancias podem levar-nos a agir de maneira que não gostaríamos. A questão importante tem a ver com aprendizado e maturidade. Antes de ser chamado por Deus, Moisés matou um egípcio. Ficou preocupado com a credibilidade quando estava indo para o Egito libertar o povo. Portanto, as características de paz e equilíbrio (calma, confiança, clareza, competência), passam pelo tratamento de Deus, que transformou o agressivo Pedro em líder da igreja nascente, que lançou no chão um ilustre Saulo, para torná-lo um sofredor pelo evangelho. Líderes precisam deixar Deus moldá-los para fortalecer a liderança, tornando a credibilidade, algo natural. A pergunta é: Estamos dispostos a nos rendermos como barro na mão do oleiro?

Sabemos que o pastor ou líder pode pregar e cantar bem, pode ter carisma, mas será o seu caráter que dará segurança aos seus liderados e membros, e não suas habilidades. Quais as características comuns de caráter de um líder que tem credibilidade, além das descritas por Maxwell neste texto de Êxodo?

Edison-Tenho afirmado que, em linhas gerais, um líder precisa estabelecer sua liderança sobre três bases principais (3Cs): Caráter, Carisma e Conhecimento. Alguns líderes se arriscam a promover mais o carisma, e assegurar sua liderança firmando-se em seus conhecimentos. Mas, quem tem carisma pode prescindir do caráter? Quem exala cultura acadêmica pode sobrepô-la à integridade. Essa talvez seja uma das razões porque presenciarmos comunidades cristãs esfaceladas após a descoberta de que faltava ao seu líder caráter, embora em alguns casos, lhe sobrassem Carisma e Conhecimento.

Caráter é fundamental para solidificar e sedimentar as ações do líder. Quando Jesus recebeu Natanael, fez uma afirmativa segura sobre sua vida: "Aí está um verdadeiro israelita, em quem não há falsidade" (Jo 1.47 NVI). Quem dera, ouvíssemos repetidamente, milhares de vezes, essa mesma frase, ecoando no interior das nossas comunidades cristãs, ressoando nos corações dos líderes.

A ausência de caráter, além de promover tragédias nas igrejas, promove uma tragédia ainda maior: A perda da credibilidade da igreja de Cristo diante do mundo. Se posso acrescentar uma ou duas características de liderança autentica à lista de Maxwell , escolheria a "transparência"  e o "senso de vocação". Transparência, porque diante de Deus, não se esconde o caráter. E senso de vocação, porque líderes, pastores sem vocação são mercenários sem paixão.

A exemplo do povo de Israel, há momentos na vida que pensamos em retroceder. "Melhor nos fora servir aos egípcios do que morrermos no deserto" Êxodo 14:12.  Como podemos ser assertivos o suficiente para que nossos liderados continuem a marchar?

Edison-Liderar é estar sempre em evidência. As pessoas estão olhando para o que fazemos, bem como para o que não fazemos. Nossas atitudes podem motivar ou desmotivar os liderados. Moisés encontrava-se diante de uma forte pressão e obrigado a tomar uma decisão: Voltar para o Egito, satisfazendo o desejo de um grupo arrependido da fuga, ou seguir em frente. Qualquer que fosse a decisão, sua credibilidade teria peso muito importante. E foi com ela em alta, que o líder da nação israelita ensinou algumas lições aos lideres de todas as épocas: Primeiramente, consultar Deus e saber se este é de fato o caminho certo. Se estiver seguro, siga em frente. Lideres precisam transmitir segurança. A confiança de Moisés não estava na avaliação das forças inimigas versos as forças aliadas, mas essencialmente na sintonia com a orientação de Deus. Mais uma vez aqui, nos referimos à sensibilidade do líder em fazer uma leitura correta da vontade de Deus. Só assim, pode ter firmeza ao responder aos seus liderados: "sigam em frente". Líderes que não entram em sintonia com Deus, precisam esforçar-se, sobremaneira, para justificarem os "seus" planos, as "suas" intenções, as "suas" vontades.

Se estiver no coração de Deus, siga em frente e todos o seguirão. A credibilidade do líder fará com que seus seguidores continuem com ele, mesmo diante das adversidades.

"E viu Israel o grande poder que o Senhor exercitara contra os egípcios; e o povo temeu ao Senhor e confiou no Senhor e em Moisés, seu servo" . Êxodo 14:31. A credibilidade de Moisés fortaleceu-se pelo poder de Deus manifesto.  Como manter a credibilidade? O que a credibilidade tem a ver com visibilidade, imagem e marketing pessoal?

Edison-Recentemente, fui convidado para desenvolver orientações sobre marketing pessoal a um grupo de lideres. Achei muito interessante e necessário. Mas estou convicto de que não é suficiente para gerar credibilidade. A credibilidade não é conquistada pela elegância externa, mas por uma alma limpa diante de Deus e da Sua comunidade. Credibilidade não é conquistada pelas estratégias de marketing, mas por um coração puro diante de Deus, que tudo vê e a todos prova.

Interessante notar que no caso de Moisés, foi Deus quem o credenciou e deu-lhe credibilidade diante do povo. Uma autoridade que vem diretamente de Deus não precisa de exercícios persuasivos, argumentação e sustentação humanas. Os liderados sabem quando estão sendo conduzidos por homens de Deus, e quando estão sendo liderados por homens-deuses. Pior! Deus também sabe.

Como disse, sou a favor de que homens de Deus tenham uma postura elegante, vistam-se de maneira adequada, cuidem de sua imagem e desenvolvam um "marketing" de suas atividades. Mas se o caráter não estiver evidente, a credibilidade estará comprometida. Um terno de linho fino pode dar elegância estética ao homem, mas não pode substituir sua ética, torná-lo crível, nem forjar o seu caráter.

O que a credibilidade tem a ver com o poder?

Edison-O exercício desmedido do poder, em muitos casos, pode estar associado à falta de credibilidade. Dizendo de outro modo, ausência de credibilidade pode produzir a necessidade de controlar as pessoas. Quando um líder precisa convencer pessoas a fazerem algo, ele pode escolher dois caminhos: Testar sua autoridade pelo caráter e credibilidade, ou impor-se pelo exercício desmedido do poder. Em ambos os casos, os resultados serão aparentes.

Deus deu autoridade para Moisés liderar o povo no deserto. Veja suas credenciais, bem como as de Josué, as de Neemias, as de Paulo, etc. Nenhum deles se destaca por uso ou abuso de poder, a não ser o poder de Deus, do qual todo líder autentico precisa se assegurar. Credibilidade mantém e assegura um poder natural e legítimo, reconhecido, enquanto o uso do poder destrói qualquer possibilidade de garantir a credibilidade.

Quais os conselhos para pastores e líderes quanto à sua credibilidade?

Edison-Pode ser arriscado dizer isso, mas a realidade de nosso tempo tem demonstrado uma liderança cristã bastante fragilizada no que diz respeito à "credibilidade". E, as conseqüências se estendem para as comunidades, também fragilizadas, criando uma imagem contemporânea, da experiência de Jesus quando afirmou: "ovelhas sem pastores".

O Apóstolo Paulo recomenda aos que estão em pé e seguros que cuidem porque tombos não são privilégios apenas dos outros. Então, aos líderes que se encontram firmes, seguros, autorizados por Deus e dignos de confiança e credibilidade diante de suas comunidades, uma coisa é necessária: Manter firme a clareza da vocação, e seguir em frente, olhando para a nuvem e para o fogo, indicativos da orientação de Deus. Lembrem-se: Conquistar e preservar credibilidade pode ser o arco que o lançará como flecha iluminada no caminho do deserto, rumo à terra prometida.